Um Olhar especial ao Making of de Dois Irmãos da Pixar

Esta semana a Disney divulgou por meio de seu portal Oh My Disney, algumas imagens e informações sobre o filme Dois Irmãos – Uma Jornada Fantástica (Onward), apresentadas no evento de imprensa realizado nos estúdios da Pixar Animation em Emeryville, Califórnia (EUA).

A matéria foi escrita por Kelly Lin, colaboradora do Oh My Disney e também Gerente de Midia Sociais da Pixar e da Disney. =D Confira!

A história de Dois Irmãos (Onward) começa em 2013, quando foi capturada a imagem (no telão na foto acima) com o registro do primeiro dia de produção. Dan Scanlon, diretor de Universidade Monstros, começava a dar forma à ideia do seu próximo longa. O insight partiu de uma história pessoal, o pai de Scanlon faleceu quando ele tinha 1 ano (e seu irmão 3 anos) e, ao longo de sua vida, seu pai era um mistério para ele.

“Muitas vezes, os filmes começam com perguntas”, disse Scanlon. “Quem era meu pai?”, “Como ele era?”, “Não seria incrível se eu pudesse passar um dia com essa pessoa?”. Depois de algum desenvolvimento em cima dessas questões a equipe percebeu que, ao introduzir nas perguntas um elemento mágico, eles poderiam criar uma história em que algo assim fosse possível.

Mas, no entanto, eles também sabiam que, como todas as boas histórias, aquela também precisava de um desafio. Em Dois Irmãos esse desafio vem na forma de calças. Papai calça para ser exato. O protagonista de Dois Irmãos, Ian (com voz original por Tom Holland), e seu irmão, Barley (Chris Pratt) também perderam o pai quando jovens. No aniversário de 16 anos de Ian, ele tem a oportunidade final de realizar um feitiço que trará o pai deles de volta por apenas um dia. No entanto, quando Ian executa o feitiço, sua inexperiência faz que a magia dê errado, trazendo de volta apenas a metade inferior de seu pai. “Inicialmente, foi uma daquelas idéias que dissemos na sala e rimos, mas depois pensamos: ‘Vamos fazer isso!'”, riu Scanlon.

Embora possa parecer tolo no começo, os cineastas descobriram mais tarde que sua escolha não convencional acabou combinando com as emoções que estavam tentando transmitir. “Eu amo o quão estranho é, mas você tem cenas como quando Ian descobre que seu pai tinha meias roxas e é muito mais impactante. Quando você não conhece alguém, aceita o que puder. Era a mistura perfeita de doce e sincero, mas também divertido e desagradável ”, lembrou Scanlon.

Uma vez que a base da história estava definida, os cineastas voltaram suas atenções para o storyboard. Como quem já leu sobre os filmes da Pixar no passado sabe bem, o início de um filme não é tarefa fácil. Para este filme, foram criadas 97.759 desenhos de storyboard no processo de produção. Uma das cenas mais difíceis para a equipe decifrar foi a introdução de Ian no filme. “Com a introdução de um personagem, principalmente o protagonista, você não pode errar nada. É sua chance de provar ao público por que eles devem se importar “, contou Madeline Sharafian, líder de história.

Muitos fatores entram no storyboard de uma cena certa. Você quer ter certeza de que está transmitindo a cena, mas também enquadrar as coisas da perspectiva certa, garantir que as cenas estejam ativas e não apenas os personagens conversando ou andando por aí, e que as ações dos personagens pareçam humanas e factíveis. “Você não pode deixar de se integrar às cenas às vezes”, explicou a supervisora ​​de história Kelsey Mann. “É bom, porque transforma a cena de algo genérico em um momento particular e único”.

Quando se tratava de dar voz ao Ian, a equipe sabia que era um trabalho difícil: encontrar um ator que tivesse uma lista sólida de filmes, mas que ainda pudesse soar como um jovem de 16. E finalmente conseguiram encontrar seu Ian em Tom Holland. “Gostamos do Tom porque ele tinha a quantidade certa de nervosismo e timidez em cenas cômicas, mas também podia fazer cenas de muita emoção”, lembrou o produtor Kori Rae.

Para o papel de Barley, a equipe procurou um ator que tivesse uma energia caótica e selvagem, mas também esse charme de irmão mais velho. Chris Pratt acabou sendo perfeito para o papel. Scanlon explicou: “Chris tem essa qualidade de irmão mais velho, e ajuda que eles se conheçam e Chris é um pouco como um irmão mais velho de Tom nesse relacionamento”.

Quando Kelly Lin conversou com a equipe de produção, uma coisa que permeou todas as conversas foi a empolgação do todos em ver o filme e compartilhar a história com seus entes queridos. “Eu tenho uma irmã e Ian e Barley me lembram minha irmã e eu quando estávamos crescendo”, disse Sharafian. “Estou muito animada para compartilhar o filme com ela e trazê-la para a festa de encerramento da produção”.

“Parece que o mundo está fazendo aniversário e estamos dando um presente para eles”, acrescentou Mann. “Estamos trabalhando duro em nosso presente para obter algo de que nos orgulhemos e agora estou empolgada para a estreia mundial. O final é a parte que me satisfaz mais e mal posso esperar para o mundo vê-lo. ”

Nem preciso dizer que também mal podemos esperar! Dois Irmãos – Uma Jornada Fantástica (Onward), chega aos cinemas brasileiros dia 5 de março de 2020.

Para acompanhar todas as postagens do Pixar Brasil Blog sobre Dois Irmãos, clique AQUI.

Via Oh My DisneyKelly Lin

Você pode gostar...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *